Postos-em-SP.jpg

Carros Elétricos: Número de carregadores públicos e semipúblicos em São Paulo cresce para 445

Foi registrado um aumento de 11,25% entre junho e agosto de 2022

O número de automóveis elétricos em circulação no Brasil está crescendo e, ao mesmo tempo, o número de postos. Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o país emplacou um total de 4.073 veículos leves eletrificados em junho, totalizando 20.427 nos últimos seis meses do ano. Dentre os destaques, estão o crescimento do número de veículos totalmente elétricos, que somaram um total de 3.395 no período, um aumento de 19% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Com o aumento de carros eletrificados, também vem o crescimento do número de postos de carregamento públicos e semipúblicos no país. A cidade de São Paulo, segundo os mais recentes dados da Elev, empresa que traz soluções para o ecossistema de carros elétricos, registrou um aumento de 11,25% entre Junho e Agosto, totalizando 445 carregadores espalhados pela cidade. Para o diretor da empresa, Ricardo David, ainda é necessário mais investimento estrutural para a demanda crescente deste tipo de automóveis.

“Tivemos um crescimento importante no número de postos na principal capital do país, a cidade de São Paulo. Ao mesmo tempo, o número ainda é baixo quando consideramos outras capitais do mundo, como é o caso de Oslo, na Noruega, onde os postos de gasolina estão se convertendo em eletropostos. Ainda são necessários mais investimentos no setor no Brasil”, defendeu Ricardo.

Os postos públicos e semipúblicos são apenas uma amostragem da quantidade de carregadores elétricos instalados no Brasil. Condomínios em todo o território nacional já vem investindo no segmento e, ao mesmo tempo, proprietários de carros elétricos e híbridos encontram na instalação de carregadores rápidos em suas casas, uma solução para os preços altos dos combustíveis fósseis.

“Por mais que tenhamos uma diminuição no valor dos combustíveis no último mês, essa diminuição não torna a gasolina e o diesel como algo que traz um custo benefício a longo prazo. Deste modo, cada vez mais pessoas vão migrar para os veículos híbridos e elétricos, aumentando cada vez mais a demanda por carregadores”, completa o executivo.

Mas será que com o avanço significativo do setor em 2022, teremos algum impacto na matriz energética brasileira? Para o especialista, é muito improvável que os veículos eletrificados gerem algum tipo de apagão energético no Brasil.

“Não existem lados negativos no avanço do mercado de eletrificados no Brasil. A nossa matriz energética não sofreria com o aumento de carros elétricos, nem mesmo se eles avançassem para as nossas frotas de caminhões e o impacto ambiental seria mínimo, principalmente quando consideramos que a geração de energia em nosso país é majoritariamente limpa”, explicou o especialista.

Segundo a ABVE, o país atingiu em julho a marca dos 100 mil veículos eletrificados. Porém, a barreira de entrada, o valor dos eletrificados, ainda esconde os benefícios a longo prazo destes modelos, que segundo Ricardo, “a manutenção está na ordem de 15% a 25% do valor gasto nos automóveis de combustão” além de “terem uma economia de cerca de 84%, em média, no valor de recarga em comparação aos carros movidos a combustíveis fósseis”.